Categoria Navegação

Esporte


VIEW POST

View more
Esporte

‘Não há improbidade se não houver malícia’, diz Fux sobre atos urgentes

Por em 31 de março de 2020 às 09:12:15

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), defendeu na noite desta segunda-feira, 30, que homens públicos possam "fazer atos urgentes sem o temor da acusação gratuita de improbidade", em momentos como o atual, de crise com a pandemia do novo coronavírus. Fux participou de uma transmissão ao vivo pelo YouTube, realizada pela XP Investimentos, sobre "O papel do Judiciário na crise do coronavírus".

Fux defendeu flexibilizações de regras. Na live, afirmou que hoje não há uma "visão persecutória" da Justiça. De acordo com o ministro, a jurisprudência pacificada atualmente é a de que "não há improbidade se não houver malícia". "O momento exige algo quase que desumano, que é a celeridade e a eficiência", afirmou.

Fux disse ainda que as respostas nesta crise têm de ser "boas" e acontecer "depressa". O ministro do STF defendeu soluções tomadas imediatamente mas que não tenham atos de improbidade. Segundo Fux, "só o dolo é que permite a imputação do delito ou da improbidade".

O ministro do Supremo Tribunal declarou também que o legislador poderia estabelecer um "tegumento protetor" dos administradores públicos, "acrescentando algum dispositivo legal no sentido de que num momento de crise a improbidade vai requerer determinados requisitos".

Fux admitiu que num momento de crise como o atual "leis temporárias advirão". O ministro defendeu uma "lei das leis", que regule edição de "leis emergenciais" em situações de gravidade.

Mediação e conciliação

Fux declarou que juízes devem exercer a mediação e a conciliação em momentos com este. "Eu recomendo que sejam criadas câmaras de conciliação e de mediação nos tribunais para soluções consensuais. Não converge para o sentido de justiça a aplicação literal da lei em momento de crise."

Conforme o ministro do Supremo Federal, essas câmaras esvaziam o trabalho do Judiciário e trazem solução. Fux afirmou acreditar que, com câmaras de conciliação, os cidadãos teriam a "sensação de felicidade, de que a decisão foi justa".

Prudência

Para o ministro do Supremo, o momento é de prudência e de tomada de decisões razoáveis. "O juiz tem que saber as consequências que a decisão judicial irá repercutir na vida dos cidadãos e das empresas", exemplificou. "É um momento de consenso, sofrimento tem de ser dividido", prosseguiu.

Salários

Na live, o ministro mostrou preocupação com eventual decisão de cortar salários. Na análise de Fux, o momento é de preservar meios de subsistência do trabalhador. "Às vezes, corte de salário de empregado representa caso muito árduo", acentuou. "Proposta de congelar salários me pareceu acertada num primeiro momento", acrescentou ao citar ideia do ministro da Economia, Paulo Guedes.

Quarentena

O ministro firmou, por fim, que o brasileiro mostra "disciplina ímpar" com isolamento recomendado por técnicos do governo.



VIEW POST

View more
Esporte

Assembleia Legislativa lança cartilha com orientações eleitorais

Por em 21 de janeiro de 2020 às 14:40:32

O fortalecimento da Democracia é feito diariamente pelo Legislativo Estadual. Um dos exemplos é a cartilha com orientações eleitorais que será lançada em fevereiro deste ano. O material contém as regras atualizadas, previstas na Legislação Eleitoral e adotadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que serão aplicadas no pleito de 2020. A cartilha será disponibilizada no site da Assembleia Legislativa (www.al.rn.gov.br) e terá também formato impresso.

“O exercício da cidadania se faz também pelo acesso a informação e ter conhecimento sobre os conceitos e regras do processo eleitoral, através da cartilha, permite ao eleitor cumprir o seu papel de cidadão e fortalecer a democracia”, disse o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira (PSDB).

A cartilha com orientações eleitorais foi idealizada e construída pela equipe da Procuradoria-Geral da Assembleia Legislativa, após reunião com o presidente da Casa, Ezequiel Ferreira, e atende a demanda, de forma educativa, de gestores públicos, postulantes a mandatos em 2020 e cidadãos, com detalhes sobre o rito eleitoral. “Entendemos que quanto mais transparente e participativo for o processo eleitoral, melhor para a população”, ressaltou Ezequiel.

De acordo com o Procurador-Geral da Assembleia, Sérgio Freire, a cartilha busca, de forma educativa e didática, nortear a ação dos envolvidos no processo eleitoral.

“O objetivo desta cartilha é informar o cidadão acerca dos principais temas eleitorais, especialmente aqueles adotadas pelo TSE no que concerne às últimas edições por este editadas, que trata sobre as Eleições 2020 e que serão abordadas de forma resumida nessa cartilha”, declarou.

A cartilha está dividida em capítulos, pontuando situações destacadas pela Legislação Eleitoral e será base para palestras e capacitações realizadas pela Escola da Assembleia.



VIEW POST

View more
Esporte

Vivaldo Costa solicita aquisição de cadeiras de rodas para Hospitais Regionais

Por em 1 de novembro de 2019 às 09:42:25

A falta de cadeira de rodas para mobilidade de pacientes nos Hospitais Regionais do Estado é uma das preocupações do médico e deputado estadual, Vivaldo Costa (PSD).

Com a finalidade de melhorar a situação dos pacientes com mobilidade reduzida nas unidades de saúde, o parlamentar protocolou requerimento solicitando ao executivo estadual, por meio da Secretaria Estadual da Saúde Pública, a aquisição de cadeiras de rodas para os Hospitais Regionais.

“A cadeira de rodas é um importante aliado para quem tem a mobilidade reduzida, seja para idosos, deficientes físicos ou quem passa por um processo de recuperação por um acidente ou doença. Ela é um item necessário e deve comportar todas as necessidades do usuário, por isso deve ser confortável e prática”, justificou Vivaldo.

De acordo com o deputado, tendo em vista a quantidade mínima existente nas unidades de saúde, é necessária a aquisição dos mais diversos tipos de cadeiras de rodas, uma vez que, serão usadas para fazer a remoção interna dos pacientes do pronto socorro, internação e ambulatório das unidades.


Publicidade