Categoria Navegação

Sem categoria


VIEW POST

View more
Sem categoria

Hemonorte faz campanha para incentivar doação de sangue para o carnaval

Por em 5 de Fevereiro de 2018 às 16:14:13

Com o tema “Hemofolia 2018, no batuque do coração faça sua doação“, o Hemocentro do RN (Hemonorte), unidade da rede pública de saúde do Governo do Estado, lança nesta quarta-feira (07), a partir das 10h, a  campanha de carnaval para doação de sangue, na sede do Hemocentro.

A campanha visa a aumentar o número de doações e garantir o atendimento às demandas transfusionais do período carnavalesco. De acordo com o diretor geral do Hemonorte, “nesta época de carnaval  o número de doadores tende a cair, enquanto as demandas aumentam, por isso é importante manter o estoque em dia”.

Quem for doar na quarta-feira (10) no Hemonorte será recebido em clima de carnaval, pois o evento conta com a participação do Rei Momo, Silvano Jeferson, e da Rainha do Carnaval  de Natal , Rozeane Albuquerque. A ação dá início a Semana do Carnaval e serve para chamar atenção da população  sobre a importância de manter o estoque de sangue abastecido para o feriado.

Os interessados em doar devem comparecer ao Hemonorte, de segunda-feira a sábado, das 7h às 18h, na Av. Alexandrino de Alencar,1800, Tirol (próximo ao parque das Dunas).

Requisitos básicos para doação:

  • Ter entre 16 e 69 anos (menores de 18 anos de idade precisam de consentimento do responsável legal);
  • ser saudável;
  • pesar acima de 50 kg;
  • ter dormido 6 horas na noite anterior;
  • evitar alimentos gordurosos antes da doação,
  • não ter ingerido bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores
  • apresentar um documento oficial com foto.

Na segunda-feira de carnaval (12) o Hemonorte funciona até 15h e na terça-feira (13) estará fechado, devido ao feriado. A partir da quarta-feira (14) volta a funcionar normalmente.



VIEW POST

View more
Sem categoria

Sesap reúne grupo de trabalho para discutir ações do projeto Vida no Trânsito

Por em 2 de Fevereiro de 2018 às 14:17:25

Durante a manhã desta sexta-feira (2), os órgãos integrantes do projeto Vida no Trânsito estiveram reunidos na Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) para definir um plano de ação e planejamento estratégico para o ano de 2018. A iniciativa tem como meta prevenir e reduzir o número de acidentes de trânsito no Estado.

Dados do Governo do RN apontam que mais de 30% dos recursos da saúde da alta e média complexidade são gastos para atendimento às vítimas de acidentes deste tipo, especialmente motocicletas.

“A saúde sofre os impactos diretos dos acidentes de trânsito. Trabalhar para reduzir estes números é o nosso principal objetivo. Pretendemos estabelecer ações de curto, médio e longo prazo. A princípio, queremos reforçar o trabalho intersetorial do Projeto e incrementar as ações educativas e de fiscalização no trânsito”, alerta Hélida Bezerra, secretária adjunta da Saúde.

De acordo com a secretária, um grupo de trabalho irá discutir as principais dificuldades nas áreas de fiscalização, legislação, infraestrutura e educação no trânsito, a fim de propor ações mais contundentes, inicialmente na região Metropolitana do Estado.

A expectativa é expandir o trabalho para os municípios do interior e atuar em diversas frentes, como a educação nas autoescolas e escolas de ensino médio, além de blitz e fiscalização.

Participam do projeto Vida no Trânsito – criado em 2011 - a Secretaria de Saúde do Estado (Sesap), Polícia Rodoviária Estadual (CPRE), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU), Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Sest/Senat, Ministério Público do RN (MP), Corpo de Bombeiros Militar (CBM), Polícia Militar (PM) e Ong Trânsito Consciente. O Ministério da Saúde disponibiliza recursos para custeio das ações do projeto.

Em março, uma equipe do Ministério da Saúde estará em Natal para acompanhar as ações desenvolvidas na capital e implantar uma plataforma nacional de banco de dados dos acidentes no trânsito.



VIEW POST

View more
Sem categoria

Jovens de Jandaíra vão aumentar produção de mel com unidade de beneficiamento

Por em 2 de Janeiro de 2018 às 11:50:56

Jandaíra, a 120 km de Natal, leva o nome da abelha nativa sem ferrão que rende aos jovens da Associação de Jovens Agroecologistas Amigos do Cabeço (Joca) o mel de jandaíra. É por meio da extração do mel de maneira sustentável que eles tiram a própria renda e agora se preparam para expandir a produção com uma unidade de beneficiamento certificada, em construção pelo Governo do RN em parceria com o projeto Governo Cidadão, Sethas e Banco Mundial.

Adeptos do movimento Slow Food e com lugar marcado desde 2008 na Terra Madre Salone Del Gusto, evento que acontece na Itália a cada dois anos, os meliponicultores de Jandaíra querem conquistar no Rio Grande do Norte o mesmo prestígio que já têm internacionalmente.

E para isso têm uma meta audaciosa: aumentar a produção que já chegou a 275kg/ano para uma tonelada anual. Só para se ter uma ideia, uma garrafa de 200g custa em média R$ 25.

"Estamos no processo de multiplicação das colméias e distribuindo nas casas de cada família da comunidade. Nossa ideia é chegar a 100 caixinhas, com cada uma produzindo um quilo de mel por ano", diz o tesoureiro da Joca, Francisco Medeiros, 32.

Mas quem pensa que o trabalho é meramente exploratório se engana: os jovens da Associação fazem toda a preservação das abelhas e constroem as próprias caixinhas que servem de enxames, após aprenderem a confeccioná-las em um curso de marcenaria básica. Tudo para preservar a espécie em extinção.

“A concentração dessa abelha aqui é muito forte e antes as pessoas exploravam de maneira errada. Vendiam de forma irresponsável, só para obter o lucro. Foi aí que começamos a preservar a espécie”, conta a presidente da Joca, Cilene Teixeira, 31.

Muito usado como remédio natural e também na gastronomia, o mel de Jandaíra já chegou ao restaurante do chef Alex Atala, em São Paulo, que usou o item no preparo do jantar magno do evento Prazeres da Mesa, em setembro passado.

Com um sabor mais suave, menos doce e de consistência mais líquida, o mel extraído no Povoado do Cabeço teve seu valor agregado atribuído naturalmente, sem necessidade de investimento em marketing.

Com a unidade de beneficiamento perto de ficar pronta, eles esperam envolver toda a comunidade no processo e ampliar os horizontes com a criação da cozinha comunitária, onde vai ser possível beneficiar e agregar valor aos alimentos produzidos pela agricultura familiar, transformando-os em geléias, doces, picles, entre outros.

Os produtos hoje são comercializados em um box na Central de Comercialização da Agricultura Familiar, em Natal, mas o objetivo a partir de agora é ampliar este e conquistar novos mercados. "O trabalho realizado em Jandaíra é singular e tem enorme potencial para chegar aos mercados mais distantes. A unidade de beneficiamento vai proporcionar certificação de qualidade e ampliação dessa produção", destaca o coordenador do Governo Cidadão, Vagner Araújo.

A Joca é composta de jovens de 18 a 35 anos oriundos da agricultura familiar, que aprenderam com os pais e avós a extração do mel. Já foram beneficiados por programas das Nações Unidas e o GEF, do Governo Federal.

O projeto do Governo Cidadão visa a reforma de prédios para instalação de unidade de beneficiamento e armazenamento de mel de Jandaíra, cozinha comunitária e espaço de capacitação.

Serão fortalecidos a meliponicultura, horticultura, fruticultura e caprinocultura em toda a comunidade de 45 famílias. Os investimentos somam R$ 420 mil, sendo quase R$ 72 mil de contrapartida da associação.

Fotos: João Vital