Estado

Sesap capacita médicos e enfermeiros sobre inserção de DIU

Por em 16 de Maio de 2018 às 15:55:26

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), por meio da Coordenadoria de Promoção à Saúde, realizará nos dias 17 e 18 de maio, das 8h30 às 16h, no auditório da Faculdade de Enfermagem Nova Esperança de Mossoró (Facene/RN), uma Capacitação para Inserção de Dispositivo Intrauterino (DIU).

São esperados 90 participantes entre médicos e enfermeiros da Atenção Básica, da Maternidade Almeida Castro em Mossoró, e do Hospital Regional Nelson Inácio dos Santos de Assu, além de profissionais das Universidades parceiras.

O responsável pela capacitação será o médico ginecologista e obstetra, Sebastião Clemente de Souza Neto. A enfermeira Chyrly Moura, da Área Técnica de Saúde da Mulher da Sesap, apresentará a proposta do Ministério da Saúde para a ampliação da oferta do DIU nas maternidades (pós-parto e pós-aborto) e na Atenção Básica.

Todos os profissionais receberão o treinamento teórico-prático em sala de aula e apenas os médicos participarão do treinamento prático em serviço, que acontecerá no dia 18 de maio na parte da manhã na Maternidade Almeida Castro. No Rio Grande do Norte dois profissionais  foram capacitados para serem multiplicadores na inserção do Dispositivo Intrauterino (DIU) pós-parto e pós-aborto.

A Portaria nº 3.265, de 1º de dezembro de 2017 do Ministério da Saúde dispõe sobre a ampliação do acesso ao Dispositivo Intrauterino Tcu 380 (DIU de cobre) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

Eles poderão ser disponibilizados pelos Estados, Distrito Federal e Municípios às maternidades integrantes do SUS, para anticoncepção pós-parto (APP) ou pós-abortamento (APA) imediatas. A implantação do DIU de cobre no pós-parto e pós-abortamento imediato são estratégias complementares e compartilhadas das ações de planejamento reprodutivo da atenção básica.

“O DIU de cobre é um método contraceptivo de longa duração e grande eficácia, disponível no Sistema Único de Saúde (SUS). Podem usar o DIU mulheres jovens e adolescentes acima de 14 anos, mulheres que não tiveram filhos ou mulheres que estejam amamentando. O contraceptivo é de fácil inserção e baixo índice de complicações”, disse Maruska Matias Cortez Campos, referência do Programa Saúde da Mulher da II Ursap.

Imprimir
TAGS

DEIXE UM COMENTÁRIO

17 + treze =