Sem categoria

Saúde de Tibau aborda sobre descarte de materiais, hepatites virais e canetas de insulina

Por em 23 de julho de 2021 às 06:17:14

Os cuidados com pacientes portadores de diabetes tem sido uma constante da Administração Municipal, principalmente com aqueles que fazem uso contínuo e dependem de insulina.

Nesta quinta-feira, 22 de julho de 2021, os enfermeiros José Lucas Freire Lopes e Aryne Cavalcante Gonçalves Rosado e a farmacêutica Ivana Ester Rosado Rolim, estiveram com alguns portadores de diabetes que fazem uso de insulina para repassar informações de como realizar o descarte dos materiais perfuro cortantes.

De acordo com o enfermeiro Lucas, o volume de resíduos de saúde é um pouco elevado no ambiente domiciliar, sendo constituído por  medicamentos, agulhas, seringas, etc.

“Nasce daí a preocupação de se ter um descarte adequado desses resíduos, porque em acontecendo de forma inadequada é uma ameaça para a contaminação do meio ambiente e das pessoas que manipulam o lixo doméstico”, observou Lucas.

O enfermeiro também salientou que a maioria dos pacientes percebe esses materiais como “resíduos comuns”, não são orientados com instruções específicas e não descartam os resíduos gerados no tratamento domiciliar de maneira adequada.

HEPATITES VIRAIS

A equipe também aproveitou a oportunidade para falar sobre a importância da prevenção das hepatites, que são um grave problema de saúde pública no Brasil.

As hepatites virais são infecções que atingem o fígado, causando alterações leves, moderadas ou graves.

“Quando presentes elas podem se manifestar por meio do cansaço, mal-estar, tontura, febre, enjoo, dor abdominal, pele e olhos amarelados, vômitos, entre outros”, explicou a enfermeira Aryne.

CANETAS DE INSULINA

Outro tema abordado foi a adesão ao uso das canetas de insulinas para os pacientes a partir de 60 anos, que é uma faixa etária que tem mais dificuldade de adesão ao tratamento convencional com o uso de seringas.

“A adesão de tecnologia possibilita maior adesão dos pacientes com diabetes. Agora será apenas necessário conectar a agulha e aplicar a dose referente ao seu tratamento˜, explica a farmacêutica Ivana, acrescentando que o manuseio tornou-se mais fácil e com menos dor para os pacientes.

Imprimir
TAGS

DEIXE UM COMENTÁRIO

três × 5 =

Publicidade